A vida é um palco de teatro

13 07 2009

Vida. Dentre as infinitas maneiras de interpretá-la, está aquela que diz ser um grande espetáculo. Com palco, produção, platéia e atores. Nessa, leva a melhor aquela que manipular melhor o seu público, e isso vai depender do desempenho do ator e da sua produção. Como todo espetáculo, tudo gira em torno do público que assiste, mas hoje percebe-se que estamos sendo focados por uma massa uniforme, com pequenas variações. E essa massa valoriza uma peça com muito mais produção do que conteúdo. Pois ou se cobra o que se deseja, ou se cobra o que se tem.

Todas aquelas luzes, efeitos e maquiagem deixam os atores muito mais interessantes, mas saiba que sua capacidade não muda com uma boa produção. Não são sombras, batons ou efeitos de luz que farão o desempenho de uma pessoa, mas sim a seriedade que esta leva com a situação.

A regra que move tudo isso é a que diz que o público é o diretor do espetáculo. E está certa, pois ninguém apresenta uma peça sem pensar no platéia, e quem diz que não, está mentindo. Toda aquela gente a sua frente. Você pode estar nervoso, ou até mesmo confiante, mas saiba que uma hora você também vai errar. E não se sinta inferior ou menos capaz por causa disso, pois só nunca vão errar, aqueles que nunca entrarão em cena.

Não pense ser mais importante que os outros, pois é impossível apresentar um espetáculo sozinho, por mais que você queria. Aqueles ao seu lado, tem o mesmo valor seu e devem ser valorizados e criticados da mesma maneira.

Alguns tem vergonha de entrar em cena. Temem a reação do público e até que ponto será julgada se errar.

Convide todos para assistirem a sua peça, mas não são todos que merecem ver os bastidores. E é inevitável que em alguma data importante, a cadeira que você reservou para alguém especial estará vazia. E essa cadeira não poderá ficar vazia para sempre, pois se isso acontecer, deixamos de abrir oportunidades para que outras pessoas sentem-se diante de nós para nos observar com mais clareza.

Cada um tem seu jeito de assistir, entenda isso. Uns preferem as primeiras fileiras, para ficarem mais próximos. Outros preferem observar mais de longe. Tudo depende do jeito de cada pessoa. Há aqueles que prestam atenção, também há aqueles que querem roubar a cena chamando a atenção. Mas tenha certeza, todos estão lá por sua causa.

Existem várias maneiras de interpretar. Pode-se dramatizar bem ou mal, só depende de você. Na vida, assim como em um espetáculo, se sobressai aquele que dramatiza melhor. Aquele que finge melhor. Aquele que engana melhor. Esse tipo de ator é o mais adorado por todos, pois ele é flexível e adapta-se a todo tipo de platéias. Mas também há aquele que não é tão bom em esconder seus sentimentos. Para esses atores, devemos dar atenção especial e vê-los com olhos muito mais compreensivos, pois esses atuam com o coração, e não tem a mesma frieza dos outros.

Mas não adianta achar que a vida gira em torno apenas de si, e que só o seu teatro é apresentado. Não se esqueça que quem o assiste também são atores e atrizes e eles esperam aprender com a sua peça, assim como você deve aprender com a peça deles.

A vida assim como um espetáculo, não é feita de graça, e espera-se o lucro no final de cada dia. Mas esse lucro não é um lucro financeiro ou material, apesar de não podermos viver sem ele, esse lucro é aquela ótima sensação de saber que você fez a sua parte, e que conseguiu transmitir a platéia tudo aquilo que você queria, bem como fazê-la sorrir, chorar e se surpreender.

Surpreenda. Quando todos estiverem em silêncio, faça algo que prenda suas atenções e sigam exatamente o roteiro que você planejou. Planeje. Ensaie. Pois sem planejamentos, um roteiro e ensaios, nenhum espetáculo tem chances de dar certo. Pelo menos uma idéia do que vai-se fazer, pois nem toda peça precisa de falas decoradas e movimentos ensaiados. Até hoje, as melhores peças que já vi eram improvisadas.

E se mesmo decorado ou improvisado não consegui-se surpreender o público, paciência. Não se pode agradar a todos. E não se esqueça que por mais que se fechem as cortinas, no outro dias haverá outra peça, só não se esqueça dos grandes dias, pois eles só vem uma vez.

Por fim fica que a vida, assim como a peça, deve satisfazê-lo , e não deve fazer nada que vá contra a sua vontade, por mais que o diretor mande, pois não há diretor maior que você mesmo.

Lucas Saldanha

Anúncios

Ações

Information

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: