O rio da vida

5 08 2009

Como na minha primeira postagem desse humilde blog, hoje venho apresentar-lhes mais uma de minhas visões de mundo. Se você não viu a primeira, veja aqui. Lá, a vida era um palco de teatro, mas hoje ela é vista como um grande rio. Esse rio vem de uma nascente, como todos os outros, que nunca devemos esquecer. Lembrar que de lá viemos e ser gratos por isso é o mínimo que podemos fazer. Devemos zelar para que a nossa nascente permaneça sempre limpa e transbordando de vida.

Esse curso não será fácil, certamente haverão obstáculos, pelos quais devemos passar. Mas qual seria o sentido de fazermos tudo isso, se no final todos seremos um só no gigante oceano? Talvez façamos tudo que fazemos para saciar a sede dos que necessitam de nós. Talvez para que pesquem de nós o alimento de que precisam.

Imagine que as pessoas que vão até você, são as pessoas que vão até o rio. Grande parte delas só vê o rio quando precisam, ou na hora de lazer. Outras pessoas por algum motivo ou outro acabam poluindo esse curso d’água, e só aí que você vê quem realmente se importa com o rio e com o seu andamento.

Quando bravo, não procure destruir, pois muitas tempestades virão e com elas você deve aprender a lidar. Procure fertilizar as suas margens, para que semeiem apenas coisas boas que renderão bons frutos no futuro. E não pense que será fácil chegar à foz com sua água limpa e cristalina. Chegar puro ao final do seu curso, talvez seja uma utopia, mas que deve ser tentada. Muitos obstáculos serão postos na sua frente. E lembre que uma água tranqüila nunca bate de frente com uma pedra, ela a contorna.

Não pense que você está sozinho nessa “caminhada”. Muitos outros rios também estão fazendo seus percursos, assim como você. E uma hora todos se cruzam. E quando isso acontecer, leve consigo o que o outro tiver de melhor com ele, e deixe que ele faça o mesmo. Precisamos da ajuda de outros para que cheguemos ao nosso delta da melhor forma possível.

Por fim, não deixe que joguem lixo em você, seja lá o lixo que for.  Coisas que te impedem de seguir e te poluem as águas. Você é o único que é capaz de selecionar todo esse lixo, e ver se alguma coisa presta. Não se abale com secas, porque chuvas virão para inundar esse grande rio que é a vida.

Lucas Saldanha

Anúncios

Ações

Information

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: